sábado, 29 de outubro de 2011

DNJ 2011 - “Juventude e protagonismo feminino”

A juventude organizada tem um olhar perspicaz sobre a realidade, e sabe apontar para os caminhos de esperança que nos são dados de presente, dentro de um contexto de marcha teimosa e vigorosa, no universo poético e profético tecido pela Igreja, a partir das mãos do coração das jovens mulheres de nosso tempo. Ao trazer o protagonismo feminino no horizonte da juventude em seu todo, sentimos um canto novo no ar. É a ternura em doação, a beleza em curso, a constância do sorriso nas poeirentas estradas de nossas romarias e a sintonia das bandeiras, bordadas com as cores do coração e com as tintas da emoção bailando e tremulando nas avenidas, praças, Redes Sociais, Campus Universitário, meio Rural, espaços públicos e políticos, periferias, centros urbanos e templos religiosos. O protagonismo feminino, a partir da juventude, se tornou mais arrojado, propositivo e determinado, sem perder a ternura, o carinho, a beleza e a feminilidade própria da mulher. Não se trata de simples tomada de decisão, mas fortaleza diante dos propósitos escritos nas páginas da própria alma. Seu coração fala com liberdade, suas palavras arrancam aplausos com paixão e sua coerência vivencial lhe faz tomar partido diante das diferenças ideológicas que o mundo impõe. A mulher é líder. Até mesmo quando a mulher está “invisível”, não passa despercebida. Sua presença é notada na sutileza de seus gestos, na delicadeza das palavras e no olhar responsável, por isso é valorizada. A beleza continua sendo importante, pois toda mulher, pelo fato de ser mulher, traz consigo uma beleza irrenunciável, única, digna de nota e verdadeiramente encantadora. É na canção silenciosa composta por seu coração que nós aprendemos a escutar o som do universo que os sonhos ousam declamar.

Leia mais

Nomeada Comissão Especial da CNBB para a JMJ 2013

Na última Quinta-feira, 27 de outubro, a presidência da CNBB nomeou a Comissão Especial para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Esta comissão e suas equipes, cujas possibilidades principais dizem respeito à Peregrinação da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora e à Pré-Jornada, trabalharão integradas ao Comitê Organizador Local (COL) da JMJ da Arquidiocese do Rio de Janeiro. A comissão ficou assim constituída: Dom Leonardo Steiner (Coordenador); Dom Eduardo Pinheiro da Silva (Secretário Geral); Dom Joaquim Giovani Mol; Pe. Antonio Ramos do Prado; Pe. Carlos Sávio da Costa Ribeiro; Sr. Francisco Vitor Bouisson; Sr. Hugo José Sarubbi Cysneiros Oliveira; Ir. Maria Eugênia Lloris.; Ir. Roziana Abílio Freire; Pe. Valdeir dos Santos Goulart; Sr. Vitor César do Carmo Dalmas.As Equipes de Trabalho serão coordenadas por: Pe. João Carlos Almeida, Pe. Sérgio Lúcio A. Costa, Sr. José Wilde Alencar dos Santos, Sr. André Jorge Simão e Pe. Alex Cordeiro. Junto a estas Equipes trabalharão vários outros jovens e adultos.
Fonte site CBB

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Celebrando Jesus Divino Mestre

A Família Paulina recebeu de Deus, por meio do bem-aventurado pe. Tiago Alberione, o dom de uma espiritualidade centrada na pessoa de Jesus Mestre e Pastor que se autodefiniu e revelou como Caminho, Verdade e Vida, cuja festa é celebrada sempre no último domingo de outubro.
Em 1971, ano de sua morte, assim escrevia pe. Alberione:
"Não podemos nunca tornar-nos adultos se não nos esforçarmos para sermos santos; e nunca poderemos ser mais santos se não nos tornar-nos semelhantes a Jesus, e nunca poderemos assemelhar-nos a Jesus, se, principalmente, não conformamos a ele o nosso interior. Jamais poderemos compreender a intimidade com Jesus se não meditarmos sua vida e seus ensinamentos; não poderemos jamais meditar as atitudes íntimas de Jesus se não o contemplarmos na Visita [como pe. Alberione chama o tempo de oração pessoal], depois da Comunhão, nas meditações. Nessas contemplações, opera-se em nós um processo interior, pelo qual, aos poucos, o eu-humano vai sendo substituído pelo eu-divino, conquistando a personalidade mais eminente que se possa imaginar, com uma total independência e liberdade de espírito em relação a este mundo criado. É a segunda pessoa da SSma. Trindade que está operando em nós".

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

SAV do Regional Sul 3 elege nova Coordenação

Com a presença das coordenações diocesanas do Serviço de Animação Vocacional do Regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em encontro realizado no Seminário de São José de Gravataí, nos dias 24 e 25 de outubro, foi escolhida a nova coordenação para os próximos quatro anos. Ir. Narciso Camatti (irmãos maristas), Ir. Arzila Pertile (irmãs de São José) e Ir. Salete Rech (irmãs de Notre Dame) coordenaram os últimos quatro anos. A partir de março de 2012 a coordenação será exercida pelos seguintes integrantes: Padre Vanderlei Bock (arquidiocese de Porto Alegre, Padre Leandro de Mello (Arquidiocese de Passo Fundo), Padre Marcio Laufer (Diocese de Cruz Alta) e Ir. Salete Rech (irmãs de Notre Dame, residente em Taquara).
A animação vocacional dinamiza alguns projetos permanentes ao longo do ano tais como: o dia mundial da vida consagrada, em 2 de fevereiro; dia mundial de oração pelas vocações, o quarto domingo da páscoa; o dia mundial de oração pela santificação do clero, no mês de junho, festa do Sagrado Coração de Jesus; além do mês de agosto com a celebração das vocações específicas em cada domingo do mês. Outras iniciativas em nível regional são a Escola Vocacional e o Retiro para animadores e animadoras vocacionais dos Institutos e Congregações religiosas, das equipes diocesanas e paroquiais.
Muitas são as atividades exercidas através do Serviço de Animação Vocacional nas escolas, na catequese e nas pastorais. Também caminha junto com o Setor Juventude nas ações em vista da Jornada Mundial da Juventude a realizar-se no Brasil em julho de 2013. Enfim, todas as atividades dos animadores e animadoras vocacionais sempre procuram estar em sintonia com as orientações da CNBB e conforme os documentos finais dos congressos vocacionais do Brasil realizados nos últimos anos.
Para dinamizar a animação vocacional ao longo do ano 2012 o SAV do Regional Sul 3 está preparando subsídios para a catequese, liturgia e formação de animadores e animadoras vocacionais. O lema motivador do ano é: A Vida te chama! Para onde vais? (cf Jo 14,6).
Ir. Narciso Camatti - www.http://cnbbsul3.org.br

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Santo Antonio de Sant'Ana Galvão

Santo Antônio de Sant'Ana Galvão, OFM, mais conhecido como Frei Galvão (Guaratinguetá, 1739 — São Paulo, 23 de dezembro de 1822) foi um frade católico e primeiro santo nascido no Brasil. Foi canonizado pelo papa Bento XVI durante sua visita ao Brasil (São Paulo) em 11 de maio de 2007. Sua festa litúrgica é celebrada no dia 25 de outubro.

Biografia
O pai, Antônio Galvão de França, nascido em Portugal, era o capitão-mor da vila. Sua mãe, Isabel Leite de Barros, era filha de fazendeiros, bisneta do famoso bandeirante Fernão Dias Pais, o "caçador de esmeraldas".
Antônio viveu com seus irmãos numa casa grande e rica, pois seus pais gozavam de prestígio social e influência política. O pai, querendo dar uma formação humana e cultural segundo suas possibilidades econômicas, mandou o filho com a idade de treze anos para o Colégio de Belém, dos padres jesuítas, na Bahia, onde já se encontrava seu irmão José.
Lá fez grandes progressos nos estudos e na prática cristã, de 1752 a 1756. Queria tornar-se jesuíta, mas por causa da perseguição movida contra a Ordem pelo Marquês de Pombal, seu pai o aconselhou a entrar para os franciscanos, que tinham um convento em Taubaté, não muito longe de Guaratinguetá. Assim, renunciou a um futuro promissor e influente na sociedade de então, e aos 16 anos, entrou para o noviciado na Vila de Macacu, no Rio de Janeiro.
A 16 de abril de 1761 fez seus votos solenes. Um ano após foi admitido à ordenação sacerdotal, pois julgaram seus estudos suficientes.
Foi então mandado para o Convento de São Francisco em São Paulo a fim de aperfeiçoar os seus estudos de filosofia e teologia, e exercitar-se no apostolado. Data dessa época a sua "entrega a Maria", como seu "filho e escravo perpétuo", consagração mariana assinada com seu próprio sangue a 9 de março de 1766.
Terminados os estudos foi nomeado Pregador, Confessor dos Leigos e Porteiro do Convento, cargo este considerado de muita importância, pela comunicação com as pessoas e o grande apostolado resultante. Em 1769-70 foi designado confessor de um Recolhimento de piedosas mulheres, as "Recolhidas de Santa Teresa", em São Paulo.

Fundação de Novo Recolhimento
Neste Recolhimento encontrou Irmã Helena Maria do Espírito Santo, religiosa que afirmava ter visões pelas quais Jesus lhe pedia para fundar um novo Recolhimento. Frei Galvão, ouvindo também o parecer de outras pessoas, considerou válidas essas visões. No dia 2 de fevereiro de 1774 foi oficialmente fundado o novo Recolhimento e Frei Galvão era o seu fundador.
Em 23 de fevereiro de 1775, um ano após a fundação, Madre Helena morreu repentinamente. Frei Galvão tornou-se o único sustentáculo das Recolhidas. Enquanto isso, o novo capitão-general da capitania de São Paulo retirou a permissão e ordenou o fechamento do Recolhimento. Fazia isso para opor-se ao seu predecessor, que havia promovido a fundação. Frei Galvão foi obrigado a aceitar e também as recolhidas obedeceram, mas não deixaram a casa e resistiram. Depois de um mês, graças a pressão do povo e do Bispo, o recolhimento foi aberto.
Devido ao grande número de vocações, viu-se obrigado a aumentar o recolhimento. Durante catorze anos cuidou dessa nova construção (1774-1788) e outros catorze para a construção da igreja (1788-1802), inaugurada aos 15 de agosto de 1802. Frei Galvão foi arquiteto, mestre de obras e até mesmo pedreiro. A obra, hoje o Mosteiro da Luz, foi declarada "Patrimônio Cultural da Humanidade" pela UNESCO.
Frei Galvão, além da construção e dos encargos especiais dentro e fora da Ordem Franciscana, deu toda a atenção e o melhor de suas forças à formação das Recolhidas. Era para elas verdadeiro pai e mestre. Para elas escreveu um estatuto, excelente guia de disciplina religiosa. Esse é o principal escrito de Frei Galvão, e que melhor manifesta a sua personalidade.
Em várias ocasiões as exigências da sua Ordem Religiosa pediam que se mudasse para outro lugar para realizar outras funções, mas tanto o povo e as Recolhidas, como o bispo, e mesmo a Câmara Municipal de São Paulo intervieram para que ele não saísse da cidade. Diz uma carta do "Senado da Câmara de São Paulo" ao Provincial (superior) de Frei Galvão: "Este homem tão necessário às religiosas da Luz, é preciosíssimo a toda esta Cidade e Vilas da Capitania de São Paulo, é homem religiosíssimo e de prudente conselho; todos acorrem a pedir-lho; é homem da paz e da caridade".
Frei Galvão viajava constantemente pela capitania de São Paulo, pregando e atendendo as pessoas. Fazia todos esses trajetos sempre a pé, não usava cavalos nem a liteira levada por escravos. Vilas distantes sessenta quilômetros ou mais, municípios do litoral, ou mesmo viajando para o Rio de Janeiro, enfim, não havia obstáculos para o seu zelo apostólico. Por onde passava as multidões acorriam. Ele era alto e forte, de trato muito amável, recebendo a todos com grande caridade.
Fonte: www.saofreigalvao.com

domingo, 23 de outubro de 2011

Dia Mundial das Missões

Celebra-se hoje o Dia Mundial das Missões e da Infância Missionária.
No Brasil, o tema deste ano é "Missão e ecologia" com o lema : "A misericórdia de Deus é para todo ser vivo" (Eclo 18,12b).
O papa Pio XI, que deu um grande impulso à missionariedade da Igreja além-fronteira e o primeiro a nomear um bispo indígena, em 1.° de abril de 1926, instituiu o Dia Mundial das Missões a ser celebrado em toda a Igreja no penúltimo domingo de outubro.
A senbilidade missionária de Pio XI transparece já em 1922, mesmo ano de sua eleição, quando ao celebrar o centenário da fundação da Obra Missionária da Propagação da Fé, declarou-a pontifícia junto com a Infância Missionária e a de São Pedro Apóstolo, confirmado-as como instrumento principal e oficial da cooperação missionária de toda a Igreja católica.
No mesmo ano, no dia de Pentecostes, interrompeu a homilia e, em meio a um impressionante silêncio, tomou seu solidéu e o fez passar entre a multidão de bispos, padres e fiéis presentes na basílica de São Pedro, pedindo ajuda de todos para as missões.
No Ano Santo de 1925, abriu, no Vaticano, uma exposição missionária mundial e também publicou a encíclica Rerum Ecclesiae sobre a missão. No mesmo ano, consagrou os seis primeiros bispos chineses.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Comissão define linha de ação para o quadriênio

A 9ª Reunião Conjunta da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB, que teve início na segunda-feira, 17, encerrou nesta quinta-feira, 20, no Centro de Espiritualidade Redentorista (Ceresp) de Aparecida (SP).

No último dia do encontro foram apresentadas propostas de tema para o Mês Vocacional de 2013 e escolhida a seguinte: Tema: Ide e fazei discípulos em todas as nações; Lema: Eis-me aqui, envia-me.

Também foi definida a participação específica da Comissão na Campanha da Fraternidade de 2013, sobre a juventude, e Jornada Mundial da Juventude, também em 2013, porque os organismos e pastorais que fazem parte da Comissão exercem trabalhos pastorais junto aos adolescentes e jovens.

As sugestões de linha de ação da Comissão para o quadriênio foram discutidas em plenário, recebendo várias emendas. Após as diversas votações foi escolhida “A partir de Jesus Cristo, Verbo Encarnado, à luz das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE), nos comprometemos em ser uma Igreja servidora, que nos chama a estar com Ele, formando e enviando em missão.” Esse fio condutor será desenvolvido pela Comissão para os Ministérios Ordenados em sintonia com as DGAE.

As atividades do dia tiveram início com missa na Capela do Seminário Santo Afonso, presidida pelo bispo auxiliar de Goiânia, dom Valdemar Passini Dalbello, com animação litúrgica da Pastoral Vocacional/Serviço de Animação Vocacional (SAV). Em seguida foram abertos os trabalhos no salão de palestras sob a presidência de dom Pedro Brito Guimarães, presidente da Comissão e coordenação do secretário executivo, padre Deusmar de Jesus Silva.

A Reunião foi encerrada com Celebração de Envio na capela do Seminário Santo Afonso de Aparecida.

fonte: site CNBB

A sabedoria dos antigos

Certa vez, um padre ainda novo foi rezar uma missa no interior de sua paróquia e, por culpa de mal-entendidos sobre o horário, apenas um senhor da roça veio para participar da reza.
"O que vou fazer agora?", pensou o padre. Tinha preparado bem a liturgia, com um sermão comprido. Iria rezar a missa ou não?
Quando o senhor percebeu que o padre não estava disposto a celebrar, fez a seguinte observação:
- Sabe, padre, eu tenho uma fazenda com muitas vacas. Comecei apenas com uma, e com o tempo fui conseguindo mais e mais. Hoje eu tenho uma grande manada.
O padre respondeu:
- O senhor está certo. Entendi sua mensagem. Agradeço e vou celebrar a missa.
Ao iniciar a celebração, nenhuma outra pessoa havia para participar. Mesmo assim, o padre celebrou a missa com todo o entusiasmo e fez um sermão de uma hora. A missa terminou bem tarde.
Já na sacristia, o roceiro se aproximou e falou:
- Quando vou alimentar as minhas vacas, preparo a comida para todas, mas quando somente uma vem para comer, eu não lhe dou toda a comida que preparei.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Estudo das Diretrizes Gerais aplicado à realidade vocacional

Acontece desde segunda feira, 17 de outubro a 9ª Reunião Conjunta da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada (CMOVC) da CNBB, que ocorre no Centro de Espiritualidade Redentorista de Aparecida/SP (Seminário Santo Afonso).
O objetivo desta reunião é o estudo das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil. “O que a CNBB espera de cada um de nós, em especial desta Comissão é: ter uma recepção criativa das DGAE; vocacionalizar as DGAE; deixar-se inspirar pelas DGAE; dar mais dinamicidade à CMOVC; ouvir e ajudar os parceiros (organismos e pastorais que fazem parte da Comissão)" afirmou Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo de Palmas, TO e presidente da CMOVC.
O presidente da Comissão informou também que Dom Jaime Splenger será o referencial da CRB e CNIS; Dom Esmeraldo Barreto de Farias, Bispo de Santarém, será o referencial dos Diáconos; Dom Valdemar Passini Dalbello, Bispo auxiliar de Goiânia será o referencial da OSIB, Pastoral Vocacional e Serviço de Animação Vocacional. Dom Pedro Brito será o referencial da Comissão Nacional dos Presbíteros e dos Bispos Eméritos.
A terça-feira foi dedicada aos estudos das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil, com assessoria do Padre Joel Portela, do Rio de Janeiro. Durante todo o dia Padre Joel interagiu com a assembléia, apresentando todos os principais pontos das DGAE partilhando experiências e colhendo experiências, alegrias e angústias dos representantes dos organismos e pastorais. Essa forma de apresentação mostrou a riqueza da Igreja no Brasil, já que todos os regionais estiveram representados.
O assessor apresentou pistas para aplicação das DGAE nos regionais, em todos os organismos e na Igreja como um todo. As cinco urgências na ação evangelizadora: Igreja em estado permanente de missão; Igreja: casa da iniciação à vida cristã; Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral; Igreja: comunidade de comunidades; Igreja a serviço da vida plena para todos, foram intensamente destacadas e partilhadas.
Após o jantar, aconteceram as reuniões dos organismos para elaboração do Plano Quadrienal e assuntos relativos a cada organismo ou pastoral. Encerrando as atividades do dia, foi exibido o vídeo “Obrigado Missionários” –“Vamos onde a Igreja nos necessite”, realizado Pela CMOVC a Comissão Episcopal para a Amazônia, Projeto “O Brasil na Missão Continental” e Comissão Nacional dos Presbíteros.
A Reunião Conjunta prosseguiu nesta quarta-feira, 19, com missa às 09h na Basílica Nacional de Nossa Senhora Aparecida, presidida por Dom Pedro Brito Guimarães, presidente da CMOVC, e concelebrada pelos Bispos da Comissão e presbíteros, com participação dos diáconos da CND – Comissão Nacional dos Diáconos e representates do IPV, CRB e CNIS.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Saber rezar

"Saber rezar é ter Deus conosco, é trabalhar com ele; e então torna-se verdade o 'eu só nada posso, e com Deus posso tudo'.
Saber rezar com as devidas disposições é saber que trabalhamos com Deus e Deus trabalha conosco, em todos os sentidos, em todas as formas: que felicidade!
Somos fracos, sem súvida, ignorantes, frágeis; quantos erros cometemos!
É tão difícil acompanhar o mundo atual; o mundo progride sempre; mas se o Senhor está conosco, o que podemos temer? Rezar pelo trabalho apostólico, intelectual, de formação.
[...] É preciso fazer a oração com as disposições necessárias, especialmente duas: a humildade e a fé. Qual é a função da humildade?
É justamente preparar o lugar para a graça, a fim de que Jesus saiba onde depositar suas graças. E a função da fé é atrair a graça, fazê-la descer até nós".
Bem-aventurado pe. Tiago Alberione, 1957

sábado, 15 de outubro de 2011

Falece pe. Reginaldo Lima ex-assessor da Comissão de Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB

É com pesar que a Arquidiocese de Maringá comunica o falecimento do padre Reginaldo Lima. O sacerdote, que nos últimos anos exerceu os cargos de Assessor da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e Vida Consagrada da CNBB e de Secretário do Regional Sul 2 da CNBB, estava internado na Santa Casa de Maringá. De acordo com boletim médico a causa da morte, constatada às 21h38 desta sexta-feira, 14, foi falência múltipla dos órgãos decorrente de uma infecção respiratória. O sepultamento ocorrera hoje às 16h no cemitério Rainha da Paz em Maringá.

Leia mais


Estamos apenas no alvorecer

"Amanheceu o dia tão ansiosamente esperado", com estas palavras o papa João XXIII, Angelo Giuseppe, iniciava o discurso de abertura do Concílio Ecumênico Vaticano II em 11 de outubro de 1962.
Porém, poucos meses depois, em 03 de junho de 1963, o "papa bom", como era conhecido, vem a falecer. Na ocasião, o então arcebispo de Milão João Batista Montini, futuro Paulo VI, assim se expressava:
"O papa João nos fez ver que a verdade, em primeiro lugar a verdade religiosa, tão difícil, também nas suas inevitáveis exigências de linguagem, de conceito e de crença, não é feita para dividir as pessoas e para acender entre elas polêmicas e contrastes, mas para atraí-las a unidade de pensamento, para servi-las com zelo pastoral, para infundir nos corações a alegria da conquista da fraternidade e da vida divina. Já o sabíamos, mas ele nos fez sentir a experiência [...] Sobre estas pegadas, outra perspectiva se abre diante dos nossos olhos, iluminada pela cândida figura do papa João: não olhemos mais para trás, não mais para ele, mas para o horizonte que ele abriu para a caminhada da Igreja e da história. Se ainda quiséssemos deter o olhar sobre o túmulo, já selado, poderíamos falar da sua herança, que este túmulo não pode conter, do espírito que ele infundiu no nosso tempo e que a morte não pode sufocar; e seríamos obrigados não mais a descrever o seu passado, mas a definir o futuro que dele brota. O quê deixa João XXIII para a Igreja e para o mundo que não poderá morrer com ele? É difícil a arte da profecia, mas, neste momento, ela parece tornar-se mais fácil e quase impor-se na evidência de algumas premissas, colocadas pelo papa de quem choramos a morte. João traçou algumas pista spara a nossa caminhada que será sábio não só recordar, mas seguir".

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

A loja de Deus

Um rapaz entrou numa loja e viu um senhor no balcão.
Maravilhado com a beleza do lugar, perguntou-lhe:
- Senhor, o que se vende aqui?
- Todos os dons de Deus.
- E custam muito?
-Não custam nada. Aqui tudo é de graça.
Contemplou a loja e viu que havia jarros de amor, vidros de fé, pacotes de esperança, caixinhas de salvação, muita sabedoria, fardos de perdão, pacotes grandes de paz e muitos outros dons de Deus.
Tomou coragem e pediu:
- Por favor, quero o maior jarro de amor de Deus, todos os fardos de perdão e um vidro grande de fé, prá mim e prá toda minha familia.
Então, o senhor preparou tudo e entregou-lhe um pequeno embrulho que cabia na palma da sua mão.
Incrédulo,ele disse:
- MAS COMO PODE ESTAR AQUI TUDO O QUE PEDI?
SORRINDO O SENHOR LHE RESPONDEU:
- MEU QUERIDO IRMÃO, NA LOJA DE DEUS NÃO VENDEMOS FRUTOS, SÓ SEMENTES. PLANTE-AS!!!

sábado, 8 de outubro de 2011


Ouvir não basta é preciso ter a coragem de partilhar a letra

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

"Apaixonem-se por Jesus Cristo!"


Em suas mensagens para o Dia Mundial de Oração pelas Vocações, o papa João Paulo II, nunca deixou de dirigir uma palavra aos jovens, incentivando-os no caminho vocacional:
"Eu tenho grande confiança em vocês. Chamei vocês esperança da Igreja e minha esperança [...] Coragem jovens: Cristo chama vocês e o mundo espera por vocês. Recordem-se de que o Reino de Deus tem necessidade da sua dedicação generosa e total. [...] Apaixonem-se por Jesus Cristo, para viver a vida dele, a fim de que o nosso mundo possa ter a vida na luz do evangelho".

sábado, 1 de outubro de 2011

"Não quero ser santa pela metade, escolho tudo"

Francesinha, que nasceu em Aliçon 1873, e morreu no ano de 1897. Santa Terezinha não só descobriu no coração da Igreja que sua vocação era o amor, mas sabia que o seu coração - e o de todos nós - foi feito para amar. Terezinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas, com a autorização do Papa e sua vida passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus. Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus, pela salvação das almas, e na intenção da Igreja. Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o pai, livre igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus, e tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou a pequena via da infância espiritual. O mais profundo desejo do coração de Terezinha era ter sido missionária "desde a criação do mundo, até a consumação dos séculos". Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia "História de uma alma", e como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam Jesus, continua ainda hoje, vivendo o céu, fazendo o bem aos da terra. Proclamada principal padroeira das missões em 1927, padroeira secundária da França em 1944, e Doutora da Igreja, que nos ensina o caminho da santidade pela humildade em 1997, na data do seu centenário. ela mesma testemunha que a primeira palavra que leu sozinha foi: "céus"; agora a última sua entrada nesta morada, pois exclamou : "meu Deus, eu vos amo...eu vos amo".

Fonte: www.cancaonova.com